Nesta matéria, você descobrirá como o acúmulo de gordura corporal  pode estar relacionado ao nosso delicado equilíbrio hormonal. Você encontrará também dicas e recomendações para se alimentar da melhor forma para acelerar o seu metabolismo naturalmente.

Deliberadamente, você não encontrará fórmulas para estabelecer parâmetros de peso ideal, nem calorias e dietas restritivas. Como você já deve saber, acredito firmemente no movimento body positive promovido por pessoas reais que não se enquadram nos cânones predefinidos de normalidade e que boicotam fortemente todos os padrões de beleza restritivos e irrealistas impostos pelas mídias hoje em dia. Para saber mais, descubra como eu aprendi a amar meu corpo incondicionalmente após a gravidez.

Conhecendo gordura corporal de perto

Talvez você ainda não saiba, mas os pneuzinhos e a barriguinha não passam de meros depósitos de tecido adiposo. O que comumente chamamos de “gordura” é, na verdade, um tipo de tecido conjuntivo composto de células adiposas, chamadas adipócitos. Essas células são uma reserva de energia com uma vida própria, em constante atividade: um verdadeiro órgão endócrino, responsável pela síntese e secreção de diferentes hormônios.

De fato, as células adiposas têm a função  de secretar numerosos hormônios importantes para o crescimento, enzimas e proteínas envolvidas na regulação de muitos processos, como apetite, gasto de energia, metabolismo, imunidade e pressão sanguínea.

Grasso Corporeo

Fatores que aumentam a tendência de acumular gordura corporal

Como já explicado na matéria sobre insulina e acúmulo de gordura corporal, a síntese endógena de gordura é um processo que ocorre no tecido adiposo e no fígado, que acumulam as calorias em excesso na forma de triglicerídeos, nossas reservas ancestrais de energia.

Esse processo reflete nosso estilo de vida e nossas escolhas alimentares e é acelerado por uma dieta calórica, especialmente se for baseada em muitos carboidratos. De fato, o excesso de açúcares simples estimula a liberação contínua de insulina, um hormônio anabólico que promove o acúmulo de gordura corporal.

Às vezes, porém, são nossos hormônios que tornam o processo de acumular gordura corporal ainda mais fácil, remando contra o nosso metabolismo e sabotando nossa alimentação.

As principais condições relacionadas à tendência do corpo de acumular gordura são:

    • Hipotireoidismo: a redução do funcionamento da glândula tireoide, que causa uma desaceleração geral de todos os processos metabólicos, aumentando nossa tendência a acumular gordura corporal. O hipotireoidismo pode ser causado por um mau funcionamento congênito ou adquirido da glândula tireoidiana, por doenças autoimunes, como a tireoide Hashimoto, ou pela falta de nutrientes específicos capazes de sintetizar hormônios tireodianos, como o iodo e o selênio. Os sintomas mais comuns do hipotireoidismo são: cansaço e sono, sensibilidade ao frio, ganho de peso, cabelos quebradiços, pele seca e depressão. Sim, você leu certo, o mau funcionamento da tireoide pode causar um desequilíbrio na produção de serotonina, o hormônio do bom humor.
    • Resistência à insulina e síndrome do ovário policístico ou SOP. Quando, devido a uma predisposição genética combinada com uma dieta rica em açúcar, as células do nosso corpo se tornam resistentes à ação da insulina, desenvolvemos a chamada resistência à insulina. A hiperglicemia resultante, ou seja, um excesso de glicose no sangue, promove o aumento de apetite e do peso corporal, e pode abrir o caminho para o diabetes tipo 2. Nas mulheres, a produção excessiva de insulina estimula a síntese hormônio ovariano que leva ao aparecimento da síndrome dos ovários policísticos. Os principais sintomas da SOP são: perda de cabelo, acne, aumento de cabelo, desequilíbrios no ciclo menstrual, fertilidade reduzida e ganho de peso.
    • Estresse e aumento dos níveis de cortisol, o hormônio do estresse produzido pelas glândulas suprarrenais que ativa uma série de respostas de emergência em nosso corpo. O exemplo clássico é o homem pré-histórico diante do leão: seu corpo deve disponibilizar todos os recursos necessários para preparar sua resposta de luta ou fuga, o que chamaremos hoje em dia de resposta aguda ao estresse. O estresse crônico e a produção contínua de cortisol aumentam o açúcar no sangue, diminuem o metabolismo e promovem o acúmulo de gordura corporal.
    • Desequilíbrios hormonais relacionados à relação entre estrógenos e andrógenos, ou seja, entre hormônios femininos e masculinos. Esses hormônios são produzidos por homens e mulheres em diferentes proporções e determinam nossas características sexuais secundárias. Entre os atributos físicos regulados por seus efeitos, há também a relação entre massa gorda e massa magra: os estrógenos promovem o armazenamento de tecido adiposo enquanto os andrógenos do tecido muscular. Excesso de toxicidade, desequilíbrios da flora bacteriana, alta exposição xenoestrogênios, ou seja, substâncias que imitam o comportamento dos estrógenos, podem causar desequilíbrios hormonais e alterar o delicado equilíbrio deste hormônios.

Se, prestando atenção aos sinais que seu corpo lhe envia, você suspeita que esteja sofrendo de um ou mais desses desequilíbrios hormonais, recomendo que você entre em contato com um bom endocrinologista com experiência em metabolismo, mesmo antes de avaliar qualquer alteração nutricional. O médico poderá verificar a presença real dessas patologias através de testes específicos e prosseguir com o tratamento.

Grasso Corporeo

Porque o acúmulo de gordura faz mal à saúde

O tecido adiposo pode ser acumulado como gordura visceral, ou seja, gordura ao redor dos órgãos internos e das cavidades abdominais, levando à obesidade no abdômen ou como gordura subcutânea das nádegas, coxas, mas também na barriga e nos quadris.

O acúmulo de tecido adiposo no nível abdominal, subcutâneo e visceral, tende a aumentar com a idade, principalmente após a menopausa. Atualmente, o problema é considerado apenas do ponto de vista estético, mas na barriga, a gordura visceral representa sério risco à saúde.

Sendo um órgão endócrino real, o tecido adiposo esta envolvido no metabolismo dos hormônios sexuais e é capaz de converter uma certa quantidade de andrógenos em hormônios estrogênicos, em uma quantidade proporcional à quantidade de massa gorda. Mulheres e homens com sobrepeso ou obesos apresentam uma alta presença de hormônios estrogênicos, que podem causar desequilíbrios hormonais durante todas as idades da vida. Especialmente mulheres e homens em idade fértil, com sobrepeso ou obesos, podem sofrer de infertilidade e problemas para conceber.

Por último, o acúmulo de gordura na área abdominal nos torna mais expostos a doenças como diabetes, doenças cardiovasculares e respiratórias, síndrome metabólica, hipertensão, ataque cardíaco e alguns tipos de câncer. Isso acontece porque as células adiposas viscerais são particularmente ativas e produzem fatores inflamatórios. Com o tempo, esses hormônios podem promover inflamação sistêmica e aumentar o risco de doenças crônicas.

Como se alimentar de uma forma melhor

Para melhorar o seu equilibrio hormonal, sugiro as mesmas recomendações das matérias sobre alimentação saudável e natural e sobre como montar um prato completo, juntamente com as contidas no artigo dedicado à insulina para estabilizar o açúcar no sangue, comendo de maneira simples, natural e intuitiva.

Em seguida, adiciono três recomendações específicas para evitar a síntese de gordura e melhorar a sensibilidade celular aos hormônios:

    • Minimize o consumo de açúcar e todos os alimentos que contêm ou ocultam frutose, especialmente xarope de milho com alto teor de frutose ou HFCS (sigla em inglês para xarope de milho com alto teor de frutose). Este adoçante amplamente utilizado na produção de alimentos préembalados é particularmente prejudicial à saúde, pois sobrecarrega o fígado, o único órgão capaz de metabolizar a frutose em quantidades significativas, aumentando a produção de gordura na forma de triglicerídeos. Para descobrir como desmascarar todos os produtos que contêm açúcar adicionado pode ler as matéria que escrevi sobre como ler os rótulos dos alimentos e como escolher melhor os adoçantes naturais.
    • Evite alimentos altamente inflamatórios, especialmente aqueles que contenham gorduras vegetais hidrogenadas e margarina. Essas gorduras podem causar sérios danos ao nosso corpo. Especificamente, além do aumento exponencial do risco cardiovascular, a permeabilidade e a fluidez das membranas celulares, necessárias para o correto equilíbrio hormonal, diminuem. Os hormônios são mensageiros químicos que transmitem informações de uma célula para outra e se beneficiam de membranas sensíveis à sua ação. Em vez disso, escolha gorduras boas e naturais, encontre a lista completa no post dedicado. O consumo de gorduras nobres ajudará você a manter o açúcar no sangue sob controle e trará substâncias essenciais, como ácidos graxos essenciais, para o seu corpo.
    • Por fim, garanta-se uma boa noite de sono, essencial para o processo de desintoxicação do corpo e para a digestão. Se precisar, pratique meditação ou simplesmente faça exercícios de respiração guiada para gerenciar melhor o estresse. Para aumentar a capacidade do seu corpo de relaxar, avalie, junto com seu médico,  suplementação de magnésio, GABA, melatonina e ashwaghanda
Grasso Corporeo

Bibliografia:

Saiba mais:

Disclaimer: As informações desta matéria sobre gordura corporal são meramente informativas e não podem, de forma alguma, substituir uma consulta com seu médico, a quem você deve sempre se dirigir para qualquer problema de saúde ou condição clínica

Condivi - Compartilhe
  •  
  •  
  • 1
  •  

YOU MIGHT ALSO LIKE

Deixe uma resposta