Insulina e acúmulo de gordura corporal

  • jan 14, 2020

Insulina e acúmulo de gordura corporal

 Nesta matéria, explicarei a ligação entre insulina e acúmulo de gordura corporal. Aviso que será um artigo cheio de conteúdo, mas sugiro que você o leia até o fim para entender como estabilizar o açúcar no sangue de uma maneira simples e natural.

Você certamente já pensou: “Este bombom que vou comer vai acabar todo no meu quadril!”, sem entender muito bem o como isto realmente acontece. O secreto esta no entender o que acontece no seu corpo quando a insulina entra em circulo.

A insulina é um “fat storing hormone”, um hormônio que promove o acúmulo de gordura corporal.

Para desempenhar as suas funções, nosso corpo deve usar suas próprias reservas de energia. A principal fonte de energia do nosso corpo é a glicose, que recebemos dos alimentos, principalmente dos carboidratos. Durante a digestão dos alimentos, os carboidratos são decompostos em açúcares simples, para serem absorvidos e entrar na corrente sanguínea.

Carboidratos => açúcares simples => glicose => energia.

A insulina, secreta pelo pâncreas, é o hormônio que regula os níveis de açúcar no sangue, conhecidos como glicose. O açúcar no sangue varia de acordo com o índice glicêmico de cada alimento e, acima de tudo, com a carga glicêmica de nossa refeição, ou seja, com a quantidade real de carboidratos que ingerimos. O consumo de carboidratos, especialmente dos refinados, leva a um rápido aumento no nível de glicose, o famoso pico glicêmico, com a consequente liberação de insulina.

Aumento do açúcar no sangue => hiperglicemia => liberação de insulina.

A insulina atua como uma “chave” que abre nossas células do corpo, ajudando-as a absorver glicose e estabilizando os níveis de açúcar no sangue. A rápida queda nos níveis glicose resultante, chamada também de hipoglicemia, é imediatamente sinalizada pelo nosso corpo: nos sentimos cansados, irritados, confusos e, acima de tudo, temos muita fome! É o nosso corpo que percebe a falta de açúcar no sangue e, portanto, exige mais, ativando um círculo vicioso difícil de quebrar.

Liberação de insulina => hipoglicemia => desejos de fome e açúcar!

Mas onde acaba a glicose que não usamos?

Graças à ação da insulina, nossas células se abrem para armazenar os açúcares dissolvidos no sangue. Estes são armazenados nas seguintes formas:

    • como glicogênio, reservas de energia depositadas no fígado e nos músculos;
    • como triglicerídeos, ou gordura, que são depositados em nossas células adiposas.

Ou seja, depois de satisfazer as necessidades imediatas de energia das células e ter atingido a capacidade máxima de armazenamento na forma de glicogênio, o corpo tem um terceiro caminho para acumular excesso de açúcar: a gordura corporal, que geralmente é depositada na região abdominal, os famosos pneuzinhos que não conseguimos derrubar!

Excesso de açúcares => reserva de glicogênio + acúmulo de gordura corporal

Em resumo, o consumo de carboidratos e açúcares altamente refinados estimula a produção de insulina e ativa as funções metabólicas de produção e armazenamento de gordura corporal, principalmente quando consumimos mais do que queimamos.

Na presença de níveis altos e constantes de insulina, a hiperinsulinêmia, nosso corpo se transforma em uma “fat storing machine“, uma máquina para armazenar gordura corporal.

CicloVicioso

Mas não acaba aqui! Uma dieta rica em carboidratos também diminui os níveis de colesterol “bom”, indicado com a sigla HDL, e aumenta os níveis de colesterol perigoso, o temido VLDL, as partículas pequenas e densas de colesterol “ruim” que causam placas em nossas artérias e podem aumentar o risco cardiovascular.

Resumindo: o excesso de carboidratos refinados aumenta a sensação de exaustão e a fome, engorda e piora o nosso perfil lipídico.


Insulina e acúmulo de gordura corporal

Como quebrar o círculo vicioso de carboidratos e estabilizar a glicose?

Os carboidratos nunca devem ser temidos, porque são parte integrante de uma dieta saudável e completa. Para otimizar o consumo de carboidratos é importante saber reconhecer as melhores e mais adequadas fontes para a nossa bioinvidualidade. Aqui estão algumas dicas para escolher carboidratos e estabilizar o açúcar no sangue:

    • Escolha consumir carboidratos complexos, com baixo índice glicêmico e rico em fibras. Todos os alimentos à base de plantas são carboidratos, da abobrinha à espiga de grão. O que diferencia carboidratos um do outro é a riqueza de amido e a presença ou não de fibras. Os carboidratos complexos são ricos em fibras e relativamente pobres em amido: vegetais integrais, raízes, tubérculos, farinha e grãos integrais, com e sem glúten.
    • Evite o excesso de açúcares simples no café da manhã. Meu conselho é de não começar a manhã com uma dose excessiva de carboidratos refinados, porque, ao fazer isso, você ativa imediatamente aquele círculo vicioso de hiper e hipoglicemia que alterará sua fome e sua produtividade durante o dia, e isso levará você a comer mais.
    • Aumente o teor de gordura boa, especialmente na primeira parte do seu dia. Consumir gorduras boas ajudará a manter o açúcar no sangue sob controle e reduzirá muito a sensação de fome. Você pode começar no café da manhã com um punhado de nozes, um ovo mexido ou 1⁄2 abacate. A lista de todas as gorduras boas pode ser encontrada aqui!
    • Tente se alimentar dentro de um período máximo de 12 horas: ou seja, se você tomar café da manhã às 7h30, tente jantar por volta das 19h às 20h. Ao fazer isso, você deixará um intervalo de jejum que seu corpo usará para suas funções diárias de limpeza e desintoxicação.
    • Mantenha seu peso e circunferência abdominal sob controle. As diretrizes internacionais recomendam manter a circunferência da cintura abaixo de 80 cm nas mulheres e 94 cm nos homens. Basta usar uma fita métrica comum e colocá-la no nível superior da cintura, logo acima das cristas ilíacas.
    • Se você tiver que se dar um mimo … faça-o antes de dormir ou depois de um treino! Pessoalmente, prefiro comer uma fatia de bolo ou uma bola de sorvete à noite, depois do jantar, porque os efeitos da hipoglicemia induzirão naturalmente o sono.

CicloVicioso

 Bibliografia:

Saiba mais:

Disclaimer: As informações desta matéria sobre insulina e acúmulo de gordura corporal são meramente informativas e não podem, de forma alguma, substituir uma consulta com seu médico, a quem você deve sempre se dirigir  para qualquer problema de saúde ou condição clínica


Insulina e acúmulo de gordura corporal

Você gostou do conteúdo dessa matéria?

Newsletter

Inscreva-se e receba todas as novidades e conteúdos em primeira mão na sua caixa postal.

Condivi - Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  

YOU MIGHT ALSO LIKE

Deixe uma resposta